Estante,  Resenhas

Resenha: Proibido – Tabitha Suzuma

sinopse

Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações eproibido privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.

Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.

Eles são irmão e irmã.

Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.

dados-tecnicos

Título do livro: Proibido

Autor(a): Tabitha Suzuma

Editora: Valentina

resenhando

A resenha de hoje é bem polêmica, eu achei que estaria preparada para ler Proibido, mas esse livro vai muito além do tabu do incesto. o primeiro choque é com a narrativa sobre a família de Lochan e Maya que é completamente desestruturada, o pai saiu de casa, casou novamente e se mudou para o outro lado do mundo esquecendo dos 5 filhos do casamento anterior.

A mãe não possui nenhum instinto materno, bebe para esquecer a realidade, passa dias longe de casa com o namorado e por fim delegou a função de criar os filhos mais novos a Lochan e a Maya, ambos cuidam de 3 irmãos mais novos, um adolescente e duas crianças.

O sofrimento da família com a falta de dinheiro e com o descaso dos pais é muito real, através de uma narrativa brilhante a autora leva o leitor a sofrer junto com os personagens, várias vezes me emocionei com as dificuldades enfrentadas por Maya e Lochan, principalmente ele, que prestes a completar 18 anos, é uma aluno excepcional, com um currículo impecável, mas não consegue se comunicar com as pessoas, Lochan não possui amigos, não consegue se comunicar com os professores e tem pavor de ter que se expressar, ele somente consegue manter alguma conversação com alguém que não seja da família, quando a vida de seus irmãos está em risco. Ao mesmo tempo que ele é um personagens extremamente frágil e sensível, ele passa uma grande força e luta para cuidar de tudo e todos.

Maya, que está prestes a completar 17 anos, ajuda Lochan em tudo. Juntos, eles tem as obrigações normais de um adolescente na escola, mas ainda cuidam como adultos de seus 3 irmãos mais novos. Eles assumem a função de pai e mãe de duas crianças e um adolescente problemático que não sabe como lidar com o abandono dos pais biológicos.

A questão do incesto acontece naturalmente dentro dessa família completamente desestruturada, ambos os personagens já assumiram o papel de pais, e por fim o de casal. Existe um conflito muito grande, pois eles sabem que esse sentimento não é normal, irmãos não se amam dessa forma, mas ao mesmo tempo, eles não podem evitar. O grande problema é o medo de ser descoberto, pois caso alguém descubra o que eles sentem um pelo outro, o serviço social será chamado e todos os irmãos serão mandados para orfanatos.

Por isso Maya e Lochan tentam evitar ao máximo esse amor, mas é somente esse amor e o companheirismo que eles setem um pelo outro que faz com que eles sigam em frente com a rotina de escola, de cuidar de toda a casa e dos irmãos mais novos.

A autora consegue levar até o leitor questões muito sensíveis sobre o que é o amor, suas formas de manifestação, o abandono dos pais, que teoricamente são as pessoas que mais deveriam amar seus filhos, alcoolismo e por fim o incesto. Com o livro descobri que incesto é crime na maioria dos países, mesmo que seja entre maiores de idade e de forma totalmente consensual. Acho que essa é a grande mensagem que o livro debate, será que esse amor deve ser criminalizado? Não estou julgando se é natural ou não, mas será que um casal deve ser preso e cumprir pena por se amar e por ser da mesma família?

Todos os personagens do livro sofrem algum tipo de transtorno e precisam de (muita) ajuda psicológica, o mais difícil durante o livro foi lidar com a criminalização do amor, mesmo com todos os julgamentos possíveis o leitor sofre com os personagens com suas decisões, medos e angustias. A escrita da autora é extremamente real e o final do livro não poderia ter outro desfecho, o único desfecho possível para uma sociedade que ainda não consegue lidar com o diferente. Mas para saber esse final, somente lendo o livro.

Me surpreendi muito com Proibido, recomendo a todos que tem a cabeça minimamente aberta, mas preparem-se para um turbilhão de emoções, Tabitha Suzuma faz o leitor repensar seus valores, se revoltar e chorar. Proibido me mostrou mais uma forma de amor, não o amor incestuoso, mas o amor entre duas pessoas destroçadas que juntas ser tornavam uma, duas pessoas que precisaram se unir para superar as adversidades.

“There are no laws, no boundaries on feelings.We can love each other as much and as deeply as we want. No one, Maya, no one can ever take that away from us.”

 

onde-comprar

Isadora Duarte

Tradutora, carioca, mas roraimada. Sou apaixonada pela literatura, adoro conhecer novas histórias, universos e autores. Não tenho um gênero favorito, leio de tudo, dos grandes clássicos aos clichês. Se o livro vier acompanhado de uma xícara de café e uma boa resenha, melhor ainda.

4 Comentários

  • Avatar

    Andréia Renata

    Oi Isadora, tudo bem? Estou morrendo de curiosidade sobre esse livro, li várias resenhas positivas então estou com expectativas bem elevadas e já estou preparando alguns lencinhos por precaução, rs, adorei a resenha!
    Beijos

  • Avatar

    Carla

    Bem que me falaram que por vezes você acaba esquecendo que eles são irmãos, porque meio que se tornam pais, e isso leva a uma visão de casal. Eu nunca li um livro com o tema incesto, mas esse é um que eu quero ler.
    Ótima resenha, Isadora. Fiquei ainda mais curiosa pelo o livro.

  • Avatar

    Mih Francielle

    Oie! Ficou ótima sua resenha! Mas eu não sei se seria tão forte pra ler esse livro, principalmente por causa do tabu incesto. Mesmo eu tendo uma mente bem aberta, ainda acho que eu deveria me preparar pra ler. Já inúmeras resenhas dele, e fiquei com vontade de ler. 🙂
    Parabéns pela resenha!

    Bjs bjs bjs Mih!
    Paradise Books || @ParadiseBooksBr || @Mih_Francielle

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.