Resenha: Gus (Bright Side #2), de Kim Holden

gus-kim-holden-bright-side

sinopse

The journey that began in top-rated, best-selling Bright Side, continues …

This is the story of Gus.
Losing himself.
Finding himself.
And healing along the way.

“ … but the honest-to-God truth is I don’t even know how to function anymore. Bright Side wasn’t only my best friend; she was like my other half … the other half of my brain, the other half of my conscience, the other half of my sense of humor, the other half of my creativity, the other half of my heart. How do you go back to doing what you did before, when half of you is gone forever?”

dados-tecnicos

Título do livro: Gus (Bright Side #2)
Autor(a): Kim Holden
Editora: Kindle

resenhando

#spoiler – Como é sobre o segundo livro de uma série. Cuidado!! O texto revela coisas do primerio livro. Mas nada que vai além da sinopse. Mas é bom avisar!!

Gente, eu deveria ter lido Gus antes. Deveria ter resenhado há muito tempo. Mas não pude. Quando lembrava do livro, ficava pensando na leitura do primeiro livro da série, o Bright Side. Lembrava-me de como fiquei frustrada com o livro, depois de tantas resenhas dizendo que o livro era muito bom. Iniciei a leitura de Bright Side já o colocando no top livros da minha estante. Então, entrei em conflito. Sabia os pontos positivos do livro, que por sinal é muito bem escrito e tem uma linda e inspiradora história. Mas, por algum motivo, ele não me tocou da forma que eu esperava. Na época fiquei com medo de fazer uma crítica negativa, enquanto eu sabia que a obra era boa. Afinal, eu dei 4 estrelas de avaliação. Não podia escrever com a cabeça ofuscada. Assim, optei por esperar um momento certo para rresenhar. Só que esse momento não chegou. Outras leituras vieram. E, quando me lembrei, já era tarde demais. A história não estava mais viva em minha cabeça e optei, finalmente, por não escrever sobre a obra.

A obra Gus meio que caiu no meu esquecimento. Porém, na semana passada, vi um post no GoodReads sobre ele. Fiquei doida para ler. Na hora me veio à energia de Bright Side, de como Kate iluminava todas as pessoas em sua volta… de como era forte…de como o desfecho do livro devastou Keller e Gus… de como eu me identificava com Gus… de como eu gostaria de saber como ele sobreviveu sem Bright Side.

Gus Gus Gus

Ainda bem que li aquele post!!! Bright Side pode não ter me marcado da forma que eu desejava. Mas Gus o fez. Entrou no meu hall de livros favoritos. Ele é épico!!!

“I don’t know to be Gus without her, dude. I’m fucking lost as shit.”

Na sequência de Bright Side, Kim Holden, nos trás um Gustov completamente perdido, sem forças. A morte de Kate deixou Gus devastado. Ela era a outra metade dele. Ele não sabia mais como continuar sem o amor de sua vida. Ele não tinha nem mais ter paixão pela sua música. Cumprir sua agenda de shows era o que ele menos desejava. Ele só queria poder se embebedar e dormir… as duas únicas coisas que faziam com que o sofrimento evaporasse. Assim, ele seguia com a vida. Se anestesiando… se drogando, transando com qualquer mulher e cantando mecanicamente. Uma perdição só.

Percebendo a bagunça que o astro está vivendo, o produtor da Banda contrata Scout para ser a assistente pessoal de Gustov. Gus não gostou nada disso. Para ele, Scout era uma impaciente. Ela comia, dormia e respirava como se não tivesse paciência para tudo o que estava em sua volta. Gustov não gostou dela logo de cara. E o sentimento era mútuo. Para ela, Gust era um clichê e babaca. Scout tinha uma missão a cumprir. Aturaria o band boy até o final da turnê para poder escapar do seu passado, juntar dinheiro e mudar de vida.

“I mean, I think people find each other when they’re ready for them. When they need each other the most. And it’s in that time of need that the strongest relationships are formed.”

Para os dois, só restava aturar um ao outro. E com o tempo, nós vamos percebendo que Scout era o que ele precisava para voltar a ser quem ele era. A dificuldade de interação com Impatient (apelido de Scout criado por Gus) fez com que o rock star prestasse mais atenção nas coisas. Fez com que ele decidisse ajudá-la sem que ela soubesse, indicando-a como assistente de sua mãe. Ele imaginava que não teria mais contato com ela e que Scout teria um emprego que pudesse ajudar a resolver os problemas pessoais dela, que ele nem imagina quais seriam.

A partir desse momento, começa a transformação dos dois personagens. E de forma brilhante.

“Bright Side helped make me the man I am, and Scout helped me remember who that man was, helping me become my own person”.

Kim Holden não fez mágica. Durante a narrativa, ela nos mostra de forma real a dor e superação dos dois personagens. Amei a forma como a autora estruturou o livro. Através de do ponto de vista de Gus e Scout, lemos uma história bem construída e madura. Assim, acompanhamos o processo de aceitação da perda do Gus. Nos capítulos narrados pela Scout, mesmo eu amando Gus, a gente consegue entender os motivos pelos quais ela o odeia tanto no início da trama. E na interação entre os dois, lemos passo a passo como duas pessoas que se odeiam se tornam amigas… de como dois amigos podem se ajudar… de como dois amigos se apaixonam.

Eu estou órfã agora que acabei de ler Gus. Estou ainda estou no primeiro estágio de perda, a negação. Mas vou superar!! (risos)

Desejo de todo coração que Kim Holden não termine com a série. Imagino que se ela continuar, ela fará um livro para o Keller (namorado da Bright Side). Ele merece muito um amor novo!!!

É isso gente!! Se ficou com vontade de conhecer Gus, corra que você ainda tem que ler Bright Side.

As usual!

Continuem lendo!!! Sempre!!!!

Beijos, Fernanda D.

 

Jornalista. Moro em Niterói/RJ. Viciada em livros. Sempre acordo com olheiras, pois antes de dormir sempre penso “só mais um capítulo”. Em 2013, li cerca de 50 livros. Os que mais me marcaram foram “O lado bom da vida”, Tem Tiny Breaths, os das série Love me with lies, Breathing, Slammed e Hopeless. Para 2014, a meta é 70 livros.

5 Responses to Resenha: Gus (Bright Side #2), de Kim Holden

  1. 1
    Carla says:

    Li a primeira parte da resenha pq ainda não li o Bright Side e ainda quero lê-lo. Mas eu tenho medo disso acontecer comigo tb. Aliás, aconteceu agora isso só que com outro livro (Every Wrong Reason) e é tão frustrante qnd o livro não te bate da forma que vc gostaria e como aconteceu com outros. Na verdade, faz tempo que isso não acontece comigo… to procurando um livro desses já faz tempo…
    Bom, que bom que com o Gus isso aconteceu. Tem ouvido falar mta coisa boa dele tb. Já deve ter feito o outro valer a pena, né!?

    Beijos, Carla
    http://lapiselivros.blogspot.com.br/

    • 1.1
      Fernanda D. says:

      Carla, valeu a pena sim ler Bright Side. O livro é bem bacana. Eu classifiquei com 4 estrela. Só não entendi o motivo pelo qual muitos acharam o livro épico. Queria que ele tivesse sido épico para mim kkkkk esse foi o conflito. Quando ler, vai perceber que é uma ótima leitura.

      Gus veio e arrasou!!! Amei mto o livro.

      Beijos, Fernanda D.

  2. 2
    Duda says:

    Onde vc conseguiu ler o livro? Pq eu não acho em lugar nenhum.

  3. 3
    Jeciely Aguiar says:

    Gostei muito da resenha que escreveu, já me deu uma vontade de ler o livro, porém temo que não consigo, só de imaginar ler sobre o Gus, já fico com cara de choro.
    Eu chorei horrores com esse livro, deveria existir mais pessoas como essa personagens, estou sem palavras pro Gus, o amor dele por ela foi tocante, imagino o que ele passou aos longos desses anos, amando em segredo, ele deve ter sofrido tanto.
    é bom muito encontrar pessoas que gosta de ler, por isso meus parabéns pelo blog e pela sua escrita maravilhosa que deixa qualquer leitor querendo mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostei muito da resenha que escreveu, já me deu uma vontade de ler o livro, porém temo que não consigo, só de imaginar ler sobre o Gus, já fico com cara de choro.
Eu chorei horrores com esse livro, deveria existir mais pessoas como essa personagens, estou sem palavras pro Gus, o amor dele por ela foi tocante, imagino o que ele passou aos longos desses anos, amando em segredo, ele deve ter sofrido tanto.
é bom muito encontrar pessoas que gosta de ler, por isso meus parabéns pelo blog e pela sua escrita maravilhosa que deixa qualquer leitor querendo mais.