Resenha: Divergente – Veronica Roth

Divergente_Veronica_Roth

sinopse

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.

A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.

E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

dados-tecnicos

Título do livro: Divergente

Autor(a): Veronica Roth

Editora: Rocco

resenhando

Em virtude da estreia do Divergente no cinema brasileiro, peguei o livro Divergente, escrito por Veronica Roth, para ler. A obra faz parte da trilogia futurista, Divergente, que muitos comparam com os Jogos Vorazes.  E por muitos estarem fazendo isso, caí no mesmo erro. Sou fã da série Jogos Vorazes. Resultado: Divergente deixou muito a desejar.

A escrita da Veronica Roth flui bem. E uma obra de muitas páginas, mas li bem rapidinho. Porém, passei a leitura toda com sensação de estar faltando alguma coisa na história e na expectativa de encontrar algo a mais.

Dentro dessas narrativas, que as pessoas classificadas como distopia, é preciso ter uma história muito amarrada e que faça senso. Veronica defende na série que todo mal do mundo é causado pela personalidade das pessoas. Em Divergente, a sociedade é dividida em cinco facções para acabar com as qualidades causadoras da desordem no mundo, que são: o egoísmo, a agressividade, a covardia, a duplicidade e a ignorância.

No contexto, as cinco fracções são: Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição. Em Abnegação moram os altruístas e por isso são os governantes. Na Amizade residem as pessoas bondosas, que atuam como conselheiros. Na Audácia, habitam os corajosos, eles são os protetores, os guardas das facções. Na Franqueza, vivem as pessoas sinceras, são as pessoas da lei. E em Erudição, moram os inteligentes, os professores, cientistas e pesquisadores.

A ideia das facções é interessante. Mas não tem como fazer analogia com o mundo de hoje. Para funcionar, precisa ser uma narrativa bem fundamentada. O leitor tem que acreditar que é possível. Em nenhum momento consegui crer na viabilidade de uma sociedade assim.

Além disso, outra coisa que me incomodou foi o fato da Tris ser pouco crítica. Poxa, ela é divergente! Ela não tem um pensamento crítico sobre a sociedade, nem pela as personalidades das pessoas. Mesmo que ela venha da Abnegação, mesmo que ela não pudesse saciar sua curiosidade, ela fazia parte e poderia ter críticas apenas pela observação do que ela vivia. Ela reflete muito pouco. Como personagem principal, desse tipo de história, eu esperava muito dela.

Achei a história muito cheia de lenga lenga… Roth enrolou demais. O último ato da história deveria ter sido o segundo. Ela ficou muito tempo no treinamento. Tanto tempo, que eu não via a hora dele acabar para saber qual seria o restante da história. Quando aparece um pequeno panorama, o livro termina. #frustrante

Apesar desses meus incômodos, o livro Divergente tem muita ação e partes de tirar folego. Quem gosta desse tipo de adrenalina, certamente vai curtir a saga da jovem Tris.

Só indico o livro, pois ele é uma febre mundial. Vale a pena conferir e tentar abraçar essa história. O problema pode estar comigo e não com a história, certo?

Boa Leitura!!!

 

Jornalista. Moro em Niterói/RJ. Viciada em livros. Sempre acordo com olheiras, pois antes de dormir sempre penso “só mais um capítulo”. Em 2013, li cerca de 50 livros. Os que mais me marcaram foram “O lado bom da vida”, Tem Tiny Breaths, os das série Love me with lies, Breathing, Slammed e Hopeless. Para 2014, a meta é 70 livros.

17 Responses to Resenha: Divergente – Veronica Roth

  1. 1
    Silvana says:

    Oie querida, tudo bem?
    Estou passando aqui para agradecer pela sua visitinha em meu blog semana passada e dizer que ja estou te seguindo, seguindo seu instagram e tbm suas outras redes. Espero que me retribua e que possamos ser boas amigas =]

    Outra coisa, esse mês para vc ter uma ideia, eu acho que li umas 10 resenhas de DIVERGENTE por causa da estréia do filme. Eu sinceramente gostei bastante de tudo que falaram sobre o livro e tudo mais e pelo jeito o filme não chega nem perto do que a história realmente é.

    Mas a sua resenha também me chamou bastante atençao, até porque eu tenho curiosidade em ler e acho que EU AINDA SOU A ÚNICA que não leu esse livro e JOGOS VORAZES hahahahaha….Mas enfim…Eu ainda irei ler e espero gostar bastante =]

    Gostei da sua escrita…Queria poder fazer uma resenha construtiva assim que nem vc. Eu ainda tenho mtooooooooooo pra aprender hehehehe

    Se cuida linda

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    • 1.1

      Sil,

      Obrigada!!! Fico feliz de ter gostado do meu estilo. Mas considero que estou que nem você, em processo de aprendizado. E, a cada prática, a cada resenha escrita, percebo que meu texto fluí melhor. As resenhas ficam mais maduras.

      E, nesse processo todo, penso que estar com vocês me ajuda muito. Sempre que posso estou visitando blogs e observando o trabalho de cada um.

      Tenha uma boa semana!!!!!

      bjs

  2. 2

    Eu ainda não li e confesso que fiquei com medo depois dessa sua resenha hahahahahaha mas espero gostar mesmo assim, principalmente porque não gosto de comparações e não vou comparar com Jogos Vorazes u.u

    Saber que o treinamento dela demora muito me desanimou um pouco, mas ainda assim quero muito ler esse livro xD

    Beijo :*
    http://www.tainahrodrigues.com
    fantasiandocomoslivros.blogspot.com.br

  3. 3
    Kaah says:

    Eu acho que a Veronica é meio que maluca, não gostei do livro, vi muita falação pra nada. Não cheguei a terminar o primeiro e nem pretendo continuar,graças a spoilers descobri o que acontece com a Tris e putz… Maluquice!
    Enfim, gostei da sua resenha, bem bacana.

    beijos

    • 3.1

      Kaah,
      acho que o primeiro livro ela ainda estava se aquecendo. Os outros livros da série são maiores do que esse primeiro.

      Navegando pela página da Verônica Roth no GoodReads, ainda encontrei especiais escrito por ela da série. Esses especiais são narrados pelo Four.

      Acho que é querer vender de mais. kkkk

      bjs

  4. 4
    Sora says:

    Oi Fernanda!
    Eu também queria ler o livro antes do filme… Mas também não gosto de histórias que enrolam demais! Ás vezes acho que os autores enrolam só para a história virar série…

    Beijos,
    Sora – Meu Jardim de Livros

  5. 5

    Oi Fe!
    Adorei sua resenha e também coragem da dar sua opinião sincera de um livro que é febre!
    Muitas vezes, críticas negativas de livros que estão em alta não são muito bem aceitos… Mas é isso aí, sinceridade acima de tudo!
    Confesso que ainda não li a serie. Tenho um pouco de preguiça de começar, não sei porque.
    Ainda nao entendi o que faz ela se tornar divergente…

    Beijinhos!

    • 5.1

      Ju,

      Tem livro que eu pego pra ler que é tão ruim… que nem é digno de terminar a leitura e muito menos de escrever opinião. Porém, Divergente não é ruim. Foi um livro que não me agradou e eu quis escrever sobre. Ele é digno de uma resenha. E, por ser uma opinião divergente, a responsabilidade é maior ainda.

      eu fiquei meio com receio de publicar a resenha. Pois, conforme você disse, é uma série com muitos fãs. Mas nós que escrevemos resenhas estamos aqui formando opinião. Não devemos vender algo contrário do que acreditamos.

      Obrigada pelo feedback.

      bjs,

      obs: Se quiser te conto até onde eu sei da Tris. Só me escrever fernanda@novoromance.com.br kkkk

      se soltar spoiler aqui o povo me mata kkkk

  6. 6

    Estou muito curiosa para ler esse livro, eu já vi o filme e algumas partes fiquei sem entender, então acho que o livro explicará essas partes 😀

    amandastale.blogspot.com

  7. 7

    Também gostei muito de saber que você não apreciou o livro, eu não sei o que esperar dele e não estou com expectativa, pois sempre me decepciono com os que eu coloco muito expectativa…

    amandastale.blogspot.com

  8. 8

    Parabéns pela resenha sincera, que pena que você não gostou tanto do livro 🙁 eu amo essa serie, mas acho que cada um tem seu gosto certo?
    Bjs
    http://ashistoriasnaoacabam.blogspot.com.br/

  9. 9

    […] momentos, sentimentos maquiavélicos de gostar ver a personagem sofrendo (…)” ◆ Novo Romance – “Achei a história muito cheia de lenga lenga… Roth enrolou demais. O último ato […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[…] momentos, sentimentos maquiavélicos de gostar ver a personagem sofrendo (…)” ◆ Novo Romance – “Achei a história muito cheia de lenga lenga… Roth enrolou demais. O último ato […]